terapia

‘Pet Terapia’ auxilia pacientes internados em hospitais de Brasília

Pacientes do Hospital de Apoio, no DF, recebem visita de pets como parte de terapia (Foto: Yasmim Perna/G1)

O projeto conhecido como Pet Terapia, promove visitas semanais ao público internado no Hospital de Apoio na Asa Norte – formado por pessoas com câncer e em recuperação de sequelas de acidentes.
A ideia surgiu no grupo de voluntariado que já existia dentro do hospital. Desde março, a ONG Pet Amigo também passou a fazer a visita guiada em outras duas instituições. Os encontros são feitos dentro das próprias enfermarias, e também no pátio de hospitais e asilos.
Internada no hospital, a senhora Zelaide Teixeira diz gostar de receber os cachorros “Nos fazem muito bem, traz muita felicidade pra gente”, afirmou ao G1.
Segundo a assistente social Mariana Souza, é possível perceber a satisfação dos pacientes ao acompanhar a visita.
Para participar do projeto, os animais são pré-selecionados e precisam atender a uma lista de requisitos. “Todos precisam ser treinados e dóceis, estar com as vacinas em dia e ter tomado banho com 24 horas de antecedência. Ao chegarmos ao hospital, fazemos a higienização das patas” enumera a secretária da ONG, Cecília Lamounir.

A ONG reúne cerca de 15 cães, que se revezam nas visitas. O hospital destinou uma equipe para supervisionar esse encontro. Os profissionais precisam avaliar a situação de cada enfermaria e fazem uma preparação geral para os visitantes caninos.
“Perguntamos se os pacientes e acompanhantes querem receber os animais, e nos preocupamos com a higienização durante toda a visita” contou Mariana.

Os interessados podem entrar em contato com a ONG para se tornar voluntários, junto com seus pets. As visitas são feitas em três instituições – além do Hospital de Apoio, a Casa de Repouso e a Casa de Convivência também fazem parte do cronograma.
Fonte: http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/pet-terapia-auxilia-pacientes-internados-em-hospitais-de-brasilia.ghtml

dog_ice

Ice, o cão-bombeiro de SC, ganha crachá de voluntário em hospital

O cão-bombeiro Ice, de Santa Catarina, agora tem crachá de voluntário do Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí.
O labrador, conhecido por participar de resgates e por ter sido treinado para atuar como salva-vidas em praia, faz visitas semanais à unidade “e leva muito carinho aos pacientes”, segundo o 7º Batalhão dos Bombeiros.
O labrador atua como cão-terapeuta no hospital desde outubro passado. Na atividade, ele está sempre acompanhado do sargento Evandro Amorim –que treina o animal desde os dois meses de vida.

ICE
Ice tem sete anos e experiência na busca e resgate por pessoas –ajudou, por exemplo, no socorro às vítimas do rompimento da barragem em Mariana. É considerado um dos melhores cães de busca da América Latina e tem certificações internacionais.
A função de Ice é levar um flutuador a uma vítima, quando o número de pessoas em risco for maior do que o de guarda-vidas na praia. “Em uma situação de três pessoas arrastadas pela água, por exemplo, dois guarda-vidas se deslocam, retiram duas vítimas e uma continua esperando o resgate. Sem suporte, ela pode submergir até o retorno do salvamento. Nesse caso, o cão se deslocaria com os guardas levando o life belt [boia]”, diz o sargento Amorim na ocasião.
Fonte: http://bompracachorro.blogfolha.uol.com.br/2016/11/28/ice-o-cao-bombeiro-em-sc-ganha-cracha-de-voluntario-em-hospital/

dog_calor

Peludos – Certas raças de cães sofrem com o calor por causa do excesso de pelos

Com a chegada do verão, os cuidados com os animais de estimação devem aumentar. A atenção ao sol e à hidratação do pet são essenciais, mas a pele e os pelos também exigem certa dedicação. Assim como as pessoas, eles precisam se adaptar ao calor. Pequenas alterações na rotina garantem a saúde dos mesmos. Nessa época do ano, os animais predispostos a reações dérmicas podem desenvolvê-las com mais facilidade, pois o calor intenso diminui a imunidade.
Mais frequente em cães peludos, os sintomas da alergia se iniciam, normalmente, durante os três primeiros anos de vida do animal, sendo as lesões na pele as principais manifestações.
A dermatóloga veterinária, Bruna Rezende, reforça que o calor pode desencadear novas alergias ou piorar as já existentes. “Se o bichinho estiver se coçando muito, é bom ficar atento e levá-lo ao veterinário.” Por ser uma época de fácil transmissão de doenças como fungos e sarnas, o ideal é que cada pet tenha seu próprio kit para banho, com toalha e escova de pelo.
Cães albinos ou de pele branca merecem ainda mais atenção durante a estação. Devido ao calor intenso e a pele mais sensível, doenças como queimaduras são um grande perigo. Dessa forma, os tutores devem sempre manter os pets longe da exposição ao sol, mesmo que, devido à falta de calor no corpo, eles insistam em ficar.
Fonte: http://blogs.correiobraziliense.com.br/maisbichos/pelos-peludos-e-pelados/